Mostrando postagens com marcador coordenação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador coordenação. Mostrar todas as postagens

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Coordenação Motora | Capacidade e habilidades motoras no Basquete

Apresentamos aqui alguns exercícios de basquete para o desenvolvimento de coordenação de pés e mãos. Na fase do processo de treinamento em longo prazo de desenvolvimento das capacidades de coordenação devem se utilizar exercícios de coordenação específicos atividades devem ser apresentadas na fase de iniciação do basquete. Vale lembrar, de acordo com SCHMIDT (1993), que as capacidades fundamentais são aquelas natas do indivíduo, relativamente permanentes e estável, que sustentam vários tipos de atividades motoras ou cognitivas. Já as habilidades são modificáveis pela prática e representam a capacidade especifica de executar uma atividade particular. Contudo, com a pratica e experiencia, o iniciante mudam os padrões de capacidades fundamentais cognitivas para capacidades motoras relacionadas aos movimentos dos membros. Por isso defendo a prática de tarefas de coordenação multi-membros em todas as fases do processo de treinamento em longo prazo.
   




Fonte: 
SCHMIDT, Richard A. Aprendizagem e performance motora: dos principios a pratica. São Paulo. Ed. Movimento, 1993.

EHRET, Arno, et al. Manual de handebol: treinamento de base para crianças e adolescentes. Confederação Alemã de Handebol. Trad. Pablo Juan Greco - São Paulo: Phorte, 2002.


domingo, 1 de dezembro de 2013

Treinamento Desportivo | Objetivos do Treinamento

Querer os resultados mais expressivos precisa-se de organização no treinamento desportivo. Antes de partir para a formação da equipe multidisciplinar precisa-se saber onde quer chegar e como vai ser essa caminhada. Primeiramente essa ascensão nos resultados é função direta da excelência física combinando com três fatores: refinamento espiritual; pureza moral e a perfeição física. As consequências são habilidades refinadas, qualidades psicológicas superiores, o corpo fica saudável, favorecendo o aprendizado para enfrentar os diversos ambientes estressantes do treinamento e das competições.

Objetivos do Treinamento

Desenvolvimento Físico Multilateral
Essa é a base para o treinamento e o condicionamento físico geral. Tem como proposta o aumento da resistência e força, aprimorar a velocidade, melhorar a flexibilidade e a coordenação, obtendo harmonia do desenvolvimento corporal. Veja mais vídeos, clique aqui.

Desenvolvimento Físico Específico
Desenvolve a força absoluta e relativa; aumento de massa muscular e elasticidade; Força específica (potencia ou resistência muscular); o tempo de reação e movimentação; coordenação e flexibilidade. Esse treinamento esta voltado para facilitar a ação em todos os movimentos solicitados pelo esporte.

Fatores Técnicos
O treinamento técnico envolve o desenvolvimento da capacidade de realizar corretamente as ações técnicas: a) aperfeiçoando a técnica solicitada para atingir a mais alta amplitude e demonstração de força; b) executando técnicas específicas em situações normais e/ ou pouco comuns; c) Assegurando a capacidade de realizar todos os movimentos corretamente.

Fatores Táticos
Os fatores táticos incluem a melhoria da estratégia por meio do estudo da tática das futuras equipes. Amplia a capacidade técnica do atleta; aperfeiçoa e diversifica estratégias.

Aspectos psicológicos
É necessário para assegurar o desempenho físico elevado (e também vejo que o inverso é mais poderoso - estar com o físico elevado o aspecto psicológico esta fortalecido também) melhorando: perseverança; disciplina; força de vontade; confiança, amizade e a coragem.

Habilidades para o trabalho em equipe
A formação de equipes nos desportos (coletivos, revezamentos, remo, esqui, etc.) é uma tarefa principal para iniciar os trabalhos. Executar as tarefas para o desenvolvimento técnico, tático, físico e psicológico criam vínculos de amizade e objetivos comuns entre os companheiros favorecendo a transformação de grupo de pessoas para equipe. Leia mais, clique aqui.

Prevenção de lesões
Conseguida por meio do treinamento físico com as metas de: a) aumentar a flexibilidade; b) Fortalecer tendões e ligamentos, especificamente na primeira fase do treinamento; c) Desenvolver a força muscular. Leia mais, clique aqui.

Conhecimento Teórico
O treinamento eleva o conhecimento do atleta em respeito aos fundamentos fisiológicos e psicológicos do próprio treinamento desportivo. A relação entre atleta e treinador devem ser discutidas para alcançar os objetivos propostos.

Esses são alguns objetivos gerais que um treinador deve considerar ao desenvolver seu planejamento e programa.


Fonte
BOMPA, TUDOR O. Periodização: teoria e metodologia do treinamento. São Paulo-SP. Editora Phorte.2002

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Basquete | Treinamento de Coordenação de pés/mãos

O treinamento de coordenação necessita de implementos simples como a escada de coordenação; bolas de tênis e criatividade, podendo ser feita riscada no chão ou com fita. Tem o objetivo de desenvolver a coordenação de corrida e entre os membros superiores e inferiores, além de ser a base da potencia de membros inferiores dos jogadores.
O footwork na escada também ajuda na construção da base do treinamento de pliometria de alto impacto, pois prepara todo o sistema músculo tendinoso e sistema nervoso para aguentar a alta intensidade. Com simples implemento o preparador físico consegue trabalhar vários aspectos do atleta, como: atenção, concentração, coordenação, velocidade etc). Aspecto importante no treinamento de jogadores de basquete visando um desenvolvimento mais fino do atleta. O vídeo a seguir é o treinamento físico da equipe feminina de Sorocaba-SP. Aproveitem o conteúdo riquíssimo. 



domingo, 6 de novembro de 2011

Desenvolvimento Multilateral | Base para a Iniciação Esportiva

O desenvolvimento multilateral é a base do treinamento em longo prazo e abrange as idades de 06 a 14 anos de idade. As crianças devem desenvolver o máximo de habilidades motoras fundamentais antes de começarem a treinar em determinado esporte. Esse tipo de desenvolvimento esta muito presente no Leste Europeu, por exemplo na "Escola da Bola". As crianças se tornam extremamente bem coordenadas e adquirem habilidades fundamentais como, correr, saltar, arremessar, rolar, dar cambalhotas e equilibrar-se, consequentemente tendo sucesso em muitas modalidades individuais e coletivas.
Se tivermos interesse no desenvolvimento de atletas bem-sucedidos de alto-rendimento devemos assegurar o atraso da especialização e sacrificar os resultados esportivos a curto prazo e assim evitar a especialização precoce.
O encorajamento de jovens atletas na iniciação esportiva a desenvolverem aptidões e habilidades motoras de que precisam para o sucesso na modalidade esportiva escolhida deve conter: exercícios de baixa intensidade para desenvolvimento da capacidade aeróbica e anaeróbica, resistência muscular, da força, da velocidade, da potencia, da agilidade, da coordenação e da flexibilidade. 
A fase mais importante do desenvolvimento da coordenação coincide com a iniciação esportiva. Nessa fase os ganhos são rápidos e independe da criança participar de programas organizados ou apenas brincar  em interação com outras crianças.
As crianças que tem a oportunidade de participar de várias atividades conseguem maiores ganhos do que aquelas que participam de apenas uma modalidade de forma específica. Essa fase, chamada de treinamento multilateral, expõem as crianças a diversas habilidades motoras, através de jogos, brincadeiras, revezamentos e outros exercícios que enriquecem e melhoram a coordenação motora, desenvolvendo movimentos e aptidões básicas.
Apresentarei algumas diretrizes que pode ajudar na elaboração de programas de treinamentos adequados para o estágio de iniciação esportiva (6 a 10 anos):
  1. Enfatizar o desenvolvimento multilateral;
  2. Adequar o tempo para aquisição de habilidades assim como para o jogo e para as atividades;
  3. Reforçar positivamente crianças que se dedicam e são autodisciplinadas;
  4. Encoraja-las ao desenvolvimento da flexibilidade, coordenação e equilíbrio;
  5. Encoraja-las a desenvolverem diversas habilidades motoras em meios de baixa intensidade;
  6. Selecionar um número adequado de repetições, enfatizando os sinais relevantes;
  7. Modificar o equipamento e o ambiente de jogo para um nível adequado (tabela mais baixa, redução de espaço, bolas menores);
  8. Promover a participação das crianças na composição dos exercícios, jogos e atividades;
  9. Incluir jogos adaptados com estratégias e táticas básicas;
  10. Incentivar exercícios que desenvolvam o controle da atenção;
  11. Enfatizar a importancia da ética e jogo justo;
  12. Proporcionar a participação de meninas e meninos juntos;
  13. Enfatizar que praticar esportes é divertido;
  14. Incentivar a participação do maior número de modalidades esportivas.
Vamos pensar sobre o desenvolvimento de atletas e esquecer momentaneamente os resultados esportivos em curto prazo para aumentarmos a qualidade de nosso atletas em nível de alto rendimento.


Fonte:

Bompa, T. Treinamento total para jovens campeões. Ed. Manole. 2000