Mostrando postagens com marcador Basquete. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Basquete. Mostrar todas as postagens

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Coordenação Motora | Capacidade e habilidades motoras no Basquete

Apresentamos aqui alguns exercícios de basquete para o desenvolvimento de coordenação de pés e mãos. Na fase do processo de treinamento em longo prazo de desenvolvimento das capacidades de coordenação devem se utilizar exercícios de coordenação específicos atividades devem ser apresentadas na fase de iniciação do basquete. Vale lembrar, de acordo com SCHMIDT (1993), que as capacidades fundamentais são aquelas natas do indivíduo, relativamente permanentes e estável, que sustentam vários tipos de atividades motoras ou cognitivas. Já as habilidades são modificáveis pela prática e representam a capacidade especifica de executar uma atividade particular. Contudo, com a pratica e experiencia, o iniciante mudam os padrões de capacidades fundamentais cognitivas para capacidades motoras relacionadas aos movimentos dos membros. Por isso defendo a prática de tarefas de coordenação multi-membros em todas as fases do processo de treinamento em longo prazo.
   




Fonte: 
SCHMIDT, Richard A. Aprendizagem e performance motora: dos principios a pratica. São Paulo. Ed. Movimento, 1993.

EHRET, Arno, et al. Manual de handebol: treinamento de base para crianças e adolescentes. Confederação Alemã de Handebol. Trad. Pablo Juan Greco - São Paulo: Phorte, 2002.


quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Basquete | Michael Jordan | Air Time

O basquete é um esporte emocionante a qual os atletas precisam dedicar um tanto de tempo para desenvolver habilidades de excelência com pensamento em longo prazo. Michael Jordan mostrou em sua trajetória que não somente habilidade física importava. O maior jogador de basquetebol de todos os tempos dedicou-se para tornar-se esse atleta maravilhoso e consequentemente um líder no mundo do basquetebol. Exemplo de dedicação e persistência durante todas as temporadas que participou. Depois que ele apareceu, o basquete nunca mais foi o mesmo. Vale lembrar que o ídolo do MJ foi o Julius `the doctor` Erving. A preparação física mudou e todos queriam parecer e desenvolver um jogo agressivo e logicamente voar. Alguns números de MJ ainda no esporte universitário - University of North Caroline - NCAA:

1981-1982
Quantidade de Jogos - 34
Arremessos de quadra - 53,4%
Lance Livre - 72,2%
Rebotes - 149
Total de pontos - 460
Pontos por Jogo - 13,5
* Março de 1982 - Jordan arremessou para a vitória em cima de Georgetown University. Primeiro campeonato com Dean Smith em UNC.

1982-1983
Quantidade de Jogos - 36
Arremessos de quadra - 53,5%
Lance Livre - 73,7%
Rebotes - 197
Total de pontos - 721
Pontos por Jogo - 20,0

1983-1984
Quantidade de Jogos - 31
Arremessos de quadra - 55,1%
Lance Livre - 77,9%
Rebotes - 163
Total de pontos - 607
Pontos por Jogo - 19,6
* Jordan é o melhor jogador do ano no esporte universitário norte americano.

No primeiro ano na NBA (1984-1985), Michael Jordan é considerado o calouro do ano com números impressionantes:
Quantidade de jogos: 82
Total de pontos: 2313
Pontos por jogo: 28,2
Arremessos de quadra: 837
Porcentagem de arremesso de quadra: 51,5%
Lance Livre: 630
Porcentagem de lance Livre: 84,5%
Rebote ofensivo: 167
Rebote defensivo: 367
Assistências: 481
Roubos de Bola: 196
Tocos: 69

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

JUBs 2013 | Basquete Universitário

Os Jogos Universitários Brasileiros JUBs 2013 vem sendo maravilhoso. O fato da classificação da UnB após nove anos de luta e reorganização do esporte universitário abre portas. A equipe da UnB vem apresentando um bom basquete mesmo disputando partidas com equipes de ponta do basquete brasileiro. 
No dia 29 de outubro, o convite para ser comentarista do jogo da primeira divisão do basquete universitário brasileiro foi sensacional. A organização do JUBs 2013 inovou com transmissão ao vivo dos jogos via internet. Isso sim é uma iniciativa de peso, pois abre a oportunidade de apresentar espaços de publicidade para patrocinadores.
Fica a dica para os organizadores dos campeonatos esportivos que é possível.

sábado, 12 de outubro de 2013

Basquete | Passar ou não passar eis a questão


Uma equipe de basquete que tem uma boa troca de passes terá poucos erros e criará um tanto de oportunidades de cesta em longo prazo. Além do mais, a melhor maneira de sair da pressão quadra toda é efetuando bons passes. No ataque meia quadra, os passes podem manter a defesa em movimento e abrir oportunidades de arremesso.

Passar ou não passar eis a questão

Faça
  1. Fazer passes fáceis;
  2. Passe para o jogador aberto;
  3. Usar fintas de passe para abrir linhas de passes;
  4. Usar o passe alto no contra-ataque, não o passe quicado;
  5. Usar o drible para abrir ângulos de passe;
  6. Alimentar o pivô com passes quicados;
  7. Passe para o pivô quando estiver abaixo da linha do lance livre;
  8. Passe com as duas mãos. Treine mesmo e alcance a destreza de passes com uma mão.
  9. Passe para fora da defesa;
  10. Olhe para a cesta afim de ver toda a quadra.
Não Faça
  1. Pular para passar;
  2. Passar sem contato visual entre os dois envolvidos;
  3. Passar para o jogador em perigo;
  4. Passe balão - especialmente no contra ataque.

BRABA | UnB começa a Taça Prata

O basquete é uma modalidade emocionante. Uma partida pode ser decidida em um detalhe. Bom encontrar os amigos da infância e ver outros que ficaram com mais idade. Não quero entrar no mérito de adjetivos e situações de cada equipe. As duas equipes jogaram bem e sabiam o que queriam. O objetivo da postagem é a divulgação do Brasília Basquete - BRABA e também valorizar o esforço de todos. 
Agora esta valendo a Taça Prata. Alguns números do jogo.

UnB x BRONKO

Competição: Basquete Brasília - BRABA 2013
Local: Ginásio de Luziânia - GO
Data: 12-10-2013 Horário: 12h20 - 14h00
Árbitro: Adriana Petersen Fiscal: Stevenson Caldas Apontador: Ogair Batista Cronometrista: Janice Piloto 24 segundos Jefferson Soares

Parciais
1º quarto 12 x 15 2º quarto 11 x 10
3º quarto 21 x 18 4º quarto 17 x 08

Placar Final UnB 61 x 51 BRONKO

UnB
Lance Livre 11/ 21 = 52,38%
3 pts: 4 cestas
Faltas: 19
Pontuação Individual
#4 Lucas Portela (DM); #5 Felipe Pires (05 pts); #6 Marcos Viegas (00); #7 Marcelo Amorim (11 pts); #8 Raphael Silveira (00 pts); #9 Guilherme Ozaka (00 pts); #10 Lucas Dias (25 pts); #11 Matheus Bafutto (não compareceu); #12 Ezequiel Xavier (não compareceu); #13 Marcus Vieira (13 pts); #14 Rodolpho Salomão (00pts); #15 Kayo Carneiro (05 pts).


BRONKO
Lance Livre 10/ 26 = 38,46%
3 pts: 5 cestas
Faltas: 20
Pontuação Individual
#4 Átila Carneiro (04 pts); #5 Jayson Souza (00 pts); #6 Juliano Carregaro (08 pts); #7 André Mota(11 pts); #8 Marcelo Costa (16 pts); #10 Tiago Oliveira (02 pts); #11 Paulo Spader (00 pts); #12 Laerte Siva (15 pts); #15 André Sanchez (06 pts).

Basquete | Jogando com a bola

O jogo com a bola, que é quando o jogador tem a posse da bola driblando ou não, requer um conhecimento de alguns detalhes para o ataque ficar mais efetivo. Assim para melhor visualizar a teoria vamos dividir o jogo com a bola em: Movimentos Parado e Movimentos em Movimento. 
Os Movimentos Parado propomos o corte em drible para o lado forte; passo cruzado; jab step para arremessar. Os Movimentos em movimento sugerimos o treinamento de basquete: mudança de velocidade; crossover; giro; finta de giro.
Logicamente a proposta é definir um padrão comum na equipe e melhorar o entendimento por todos os componentes do time a respeito da tática do jogo. Outros movimentos de drible vão sendo acrescentados conforme a evolução da técnica.

Dicas a respeito de como e quando usar o drible no basquete:
  1. Permanecer baixo;
  2. Manter a cabeça erguida;
  3. Jogar sob controle;
  4. Atacar o defensor - não tente evitá-lo;
  5. Driblar para algum lugar; drible com propósito;
  6. Manter o defensor atrás;
  7. Fechar o corredor;
  8. Empurrar a bola para fora;
  9. Proteger a bola com o corpo;
  10. Mudar o ritmo e velocidade;
  11. Mudar direção várias vezes no decorrer da quadra;
  12. Lembrar da tríplice ameaça.

domingo, 15 de setembro de 2013

Defesa Individual no Basquete | Mantenha Pressão na Bola

O sucesso em campeonatos de basquete é baseada em uma equipe que sabe trabalhar defensivamente. Gostamos de enfatizar aos jogadores alguns pontos importantes a respeito da defesa individual. A defesa do homem da bola, que chamamos de pressão na bola, é um ponto crucial para o sucesso defensivo. Quando a defesa nessa situação não permite o corte do atacante, não há necessidade de todo o sistema defensivo agir, assim preservando as estratégias da defesa.
Dicas importantes para o sucesso defensivo:
  • Mantenha-se baixo (base de marcação);
  • Mantenha-se equilibrado, com os pés no chão e ombros paralelos ao atacante;
  • Mova os pés e deslize;
  • Pressionar e conter a bola;
  • Detectar e controlar os movimentos do armador. O pé esquerdo na frente força a driblar para esquerda assim como o pé direito força o drible para esquerda;
  • Mantenha os braços ativos sem alcançar a bola - não tentar roubar a bola todo momento garante um jogo sem faltas desnecessárias;
  • Mantenha a cabeça em pé;
  • Feche o corte para o meio da quadra;
  • Comunique se com os jogadores do seu time.

Fonte:
WOOTTEN, Morgan. Coaching Basketball Successfully. Human Kinetics. 2 Ed. 2003



Ataque no Basquetebol | 18 Dicas Fundamentais vs Defesa Individual

A aquisição de um sistema ofensivo eficiente no basquete é importante para que organize o ataque. No entanto o refinamento das qualidades de um ataque é que suas unidades estejam pensando e fazendo um padrão de movimentos conhecidos e adquiridos ao longo da etapa de preparação. 
As dicas abaixo darão ao ataque maior consistência e entendimento entre os companheiros de equipe.

1. Manter um bom espaçamento, usando o arco de três pontos para ajudar;
2. Ler a defesa;
3. Lembrar que quem faz o corta-luz é muitas vezes boa oportunidade de passe;
4. Passar e movimentar, não ficar parado;
5. Reversão de bola - aproveitar mudanças na defesa;
6. Servir o poste baixo, abaixo da extensão do lance livre;
7. Não jogar rápido - deixar o jogo fluir;
8. Seja receptores agressivos - vá até a bola;
9. Use V-cortes para conseguir abrir;
10. Pegar, virar, encarar a cesta - ser uma ameaça;
11. Comunicar em cortes de backdoor e corta-luz;
12. Drible com um propósito: para atacar o cesto, para sair do problema, para melhorar um ângulo de passe ou para avançar na transição ofensiva;
13. Passar do lado de fora da defesa;
14. Mover-se com um propósito;
15. Esteja preparado para fazer ou receber um corta-luz - leia seus companheiros de equipe;
16. Seja paciente na função de fazer corta-luz, cortar e  passar;
17. Quando passar espere que o corta-luz se efetive completamente - deixe as possibilidades desenvolverem;
18. Colocar a bola em tríplice ameaça.

Fonte:
WOOTTEN, Morgan. Coaching Basketball Successfully. Human Kinetics. 2 Ed. 2003

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Basquetebol | Como construir o contra-ataque

O artigo trás algumas diretrizes construída por grandes autores do basquetebol a respeito da construção do contra-ataque. Esse modelo poderá nortear o trabalho, assim como norteou o meu em busca de uma orientação adequada aos jogadores. 

Primeiramente precisa de um planejamento do trabalho. Responder as perguntas: O que fazer? Como fazer? Quando fazer? Por que fazer? Começa a orientar o caminho que vai se seguir. A seguir coloco os tópicos importantes para o desenvolvimento do contra-ataque e um exercício muito bom e dinâmico de situações de contra-ataque.

Como Construir o Contra-ataque?
  1. Desenvolver um preparo físico de excelência. O exercício de agilidade (Suicídio) é muito bom, Abdominais; apoio; extensão do quadril.
  2. Desenvolver o sistema defensivo agressivo (no sentido de pressão na bola e linha do passe);
  3. Garantir rebotes defensivos e primeiros passes eficientes;
  4. Definir o padrão de transição primaria que deseja, definindo a quantidade de corredores na quadra e quem corre por eles;
  5. Desenvolver a visão do ataque para detectar a superioridade numérica em relação a defesa;
No vídeo abaixo, um exercício chamado Nuggets que trabalha todas as situações de contra-ataque em questão de números de jogadores.

Basquete Universitário | Liga de Desporto Universitário | UnB x UNIVERSO-RJ

A Liga de Desporto Universitário - LDU é organizado pela Confederação de Brasileira de Desporto Universitário-CBDU e dividi-se em duas etapas - Etapa Regional e Etapa Nacional. Existem duas regiões na Etapa Regional composta pelos representantes do Sul, Sudeste e Centro-Oeste e a outra região Norte e Nordeste.
No ano de 2013 a etapa regional do Sul, sudeste e Centro-Oeste foi realizada em Volta Redonda-RJ. A equipe da UnB conseguiu a classificação para a Etapa Nacional com muita garra e determinação, pois o nível técnico estava altíssimo. O diferencial foi a defesa com média de 49,5 pontos por jogo.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Basquete | Jogadas de Fundo Bola

As jogadas de fundo bola do basquete são ferramentas que decidirão jogos facilmente. Os jogadores devem estar confiantes para a execução correta. Esse tipo de jogada especial com modalidade coletiva que gastamos um tanto de tempo treinando contra-ataque, sistemas defensivos e ofensivos e outras coisas mais. E qual é o seu objetivo? Vencer?! Então suas jogadas especiais de fundo bola e lateral devem ter sido treinadas e repetidas várias vezes, pois em uma situação de última bola para vencer o jogo elas são imprescindíveis.

FUNDO BOLA "Box 1"

O4 faz um corta luz indo para cima para o O5 então o O5 pode cortar para o block oposto. O4 bloqueia a D5, e rola pedindo a o passe e bandeja. O2 poderia passer para O5, ou se a defesa trocasse no corta luz, O4 deveria estar aberto. O1 corta ao redor do corta luz para baixo de O3 e move se para fora na posição em cima. Depois de fazer o corta luz, O3 corta para a zona morta do lado fraco. Se nada acontecer em baixo, olhe para O1 ou O3 preparados para o chute de 3 pontos.








FUNDO BOLA "Box 2"

Esta jogada é feita para um bom arremessador de 3 pontos da zona morta, mas há outras opções também. Colocar seu melhor arremessador de 3 pontos (O2) bater o fundo e usar essa opção de Box visto no diagrama A.
Diagrama A. O3 faz um corta luz pelas costas para O5 que tenta passar por dentro para o passe ir em direção ao block oposto. O4 finta e corta em direção a zona morta e recebe o passe do fundo. O1 corta para a cabeça no lado forte.
Diagrama B. O4 passa para O1, e então faz um corta luz para O2. O2 corta com agressividade ao redor do corta luz para a zona morta do lado forte, recebe o passe de O1 assim pode arremessar da zona morta de 3 pontos (Diagrama C). Se o defensor do lado de fora cobrir o O2, O2 poderia passar para O4 posicionado no pivô de baixo. O5 esta em boa posição para o rebote do lado contrário.
Para acontecer o "Box-2" contra defesa zona 2-3, O4 faz um corta luz no defensor de fora, que cobre a zona morta.




Basquete Brasilia | Campeonato Adulto de 2009 | UnB x APAB

A equipe de basquete da tradicional APAB sempre duríssima para jogar mais uma vez mostra sua qualidade. Gosto desse vídeo,pois aparece o  que admiro o jogo, a persistência e rendimento desde que começamos a jogar nos anos 80. Confiram!

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Basquetebol da Base | Divulgação


Confira mais um vídeo da 5 º Copa Minas de Basquetebol, realizada em Brasília no ano de 2012.
Ajude a divulgar o vídeo clicando no JOINHA e compartilhando com seus amigos.





sábado, 20 de julho de 2013

Brasília Basquete: UnB estréia na BRABA com vitória



A equipe de basquetebol masculino da Universidade de Brasília estréia bem com a fortíssima equipe do Ceub universitário. O jogo aconteceu no ginásio da ASCEB fechando a primeira rodada do Campeonato de Basquetebol adulto de Brasilia-DF, com o nome de BRASILIA BASQUETE - BRABA.
O Clube de Basquetebol da UnB - ACB começou bem o jogo e terminou o 2º quarto com a parcial 25 x 27 para o CEUB. No 3º quarto a equipe da UnB ficou mais passiva no jogo o que possibilitou a arrancada da outra equipe e um placar de 32 x 43. Durante o 4º o time da UnB reagiu e fechou o jogo em 53 x 49.
Uma característica marcante da UnB é o modo como gosta do jogo na defesa. Esses meninos são disciplinados no treinamento. Gostam de treinar para melhorar as falhas e melhorar as qualidades. Eles estão me ensinando um tanto de basquete no derradeiro ano. Tenho a agradecer.
Esse ano a BRABA tem 16 equipes, recorde no campeonato  adulto do basquete de brasília. Desejo um ótimo campeonato a todos e que façamos desse projeto algo que possamos ter honra em participar. Parabéns a organização da BRABA, aos árbitros, companheiros das outras equipes e a equipe toda da UnB.
o

domingo, 10 de março de 2013

Basquete: Situações especiais

Esse é um aspecto um tanto importante do basquetebol moderno e muitas vezes ignorado, especialmente por treinadores iniciantes. A decisão de jogos e competições podem se dar nessas situações especiais.
Quantas vezes sua equipe não obteve sucesso porque não conseguiu finalizar aquela bola nos últimos segundos, não soube administrar a posse de bola no final do jogo dando uma nova oportunidade de ataque para outra equipe. Principalmente em alto nível, onde as equipes se equivalem, os jogos são decididos em detalhes e quem se preparar para a disputa levará vantagem.
Nós da Universidade de Brasília começamos a dedicar até 20 minutos de nosso treinamento diário a situações especiais como:

Jogada de lateral (contra individual e zona)
Nossa meta é criar situações de cesta ou falta.

Jogada de fundo bola
O objetivo é igualmente o da jogada de lateral. Executar com eficiência as jogadas de fundo bola é um tanto importante, principalmente a nível psicológico contra o adversário.

Jogada de bola ao alto
A primeira posse de bola tem um valor psicologico importante no jogo especialmente quanto converter 2 ou 3 pontos.

Jogada de 3 pontos após cesta do adversário
Utilizamos essa jogada quando precisamos de três pontos.

Saída de pressão

Segurando a bola no final de jogo
Utilizamos esssa movimentação com o objetivo de espalhar a defesa do adversário e abrir espaços para cestas de alta porcentagem nos últimos segundos da posse de bola.

É importante que os jogadores reajam automaticamente e instintivamente durante a execução das jogadas. Sendo assim a repetição em treinamento é de vital importância para o alcance dos objetivos. Se preparados os jogadores irão reagir de forma confiante sob pressão.  Procure jogadas que mais se adapte com sua equipe e treine.
Prepare sua equipe esperando as situações especiais e não terá surpresas. 

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Saber Basquete | Construindo a defesa individual (Parte II)


Walter orienta atletas da seleção do Bahrein

Estou animado para postar a segunda parte de nossa série. Não é simplesmente a montagem de um sistema defensivo, é uma filosofia. Walter Carvalho Neto, brasileiro, 51 anos, atual técnico da equipe nacional de Bahrein,  com um currículo carregado de conquistas, principalmente no Oriente Médio, desenvolve a defesa de seus times a partir de 10 regras. Esse é o típico jogo norte americano de defesa forte e contra-ataque fumegante. Um jogo muito físico onde a criatividade é exaltada e a individualidade não padronizada. Esse estilo de jogo é muito envolvente trazendo prazer para jogadores, técnicos e torcedores.

O sistema defensivo eficiente tem os seguintes objetivos:
  • Controle do ritmo de jogo;
  • Forçar o ataque a mudar suas opções ofensivas;
  • Reduzir o tempo de posse do adversário;
  • Diminuir o aproveitamento de arremesso por posse de bola do adversário;
  • Criar situações de alta porcentagem de arremesso (contra-ataques);
  • Dar oportunidade ao sucesso.

As regras do sistema defensivo são as seguintes:

1 - POSIÇÃO BÁSICA DE DEFESA: a orientação aos jogadores é marcar com um pé a frente e um atrás, induzindo o jogador de ataque para a lateral;




2 - DEFENDENDO O HOMEM DA BOLA: Trocamos o deslocamento lateral por DESLIZAR. O peso do corpo transfere para o pé de trás deixando livre o pé e os braços acompanhando o movimento das pernas, para melhor equilíbrio. Os pés não devem se tocar. O jogador de defesa deve posicionar-se a um passo de distância do jogador com a bola, de maneira que possa fazer um recuo (Lembra: saltito para trás) mantendo o equilíbrio e a posição. Seu objetivo é impedir a infiltração por drible pelo meio e conter o avanço do adversário. Se o jogador de ataque parar de driblar, o jogador de defesa deve fechar em cima do atacante de forma agressiva, dificultando o passe ou provocando um erro de fundamento. Veja na figura a cima, a jogadora de defesa apoia o peso na perna de trás, os braços acompanham o movimento, apesar de parecer que ela demorou para reagir e levou o corte. Por isso a importância do treino diário




3 - DEFENDENDO O PASSE: O jogador de defesa que estiver a um passe da bola deve negar a linha do passe com o braço e a perna da frente. è importante que o jogador de defesa encurte, também, a distância entre ele e o jogador da bola, caso seja necessário ajudar o companheiro para evitar uma infiltração por drible. Veja a figura ao lado! A bola esta com o jogador de ataque no meio, na lateral esquerda o jogador já estabeleceu a linha do passe. Na lateral direita o jogador de defesa corre para recuperar sua posição. E ainda vemos o jogador de defesa do pivô na posição de poste alto, também procurando estabelecer a defesa do passe.

4 - DEFENDENDO NO LADO DE AJUDA:  o lado de ajuda é aquele a dois ou três passes da bola, denominado também, lado fraco. A responsabilidade dos jogadores nessa posição se tornam imprescindíveis para uma defesa eficiente. 

Devem flutuar de forma que possa ajudar na marcação do jogador de ataque com a bola, sem perder de vista o jogador que esta marcando, preenchendo os espaços vazios e contendo a infiltração por drible e do jogador no garrafão sem bola. O vídeo do treinamento da seleção brasileira categoria de base executa esse exercício na quadra toda. Ainda trabalha intensamente o condicionamento físico e o drible. 

5 - DEFENDENDO O CORTE: o jogador da defesa marcando o jogador sem bola deve posicionar entre o jogador e a bola, de forma que possa bloquear e negar a trajetória do atacante em direção a bola.

6 - DEFENDENDO O PIVÔ: Uma meta específica para o campeonato é negar o passe para o pivô. O jogador de defesa, sempre que possível força-lo a receber a bola fora do garrafão ou o mais distante possível do garrafão. Na posição de pivô baixo, o jogador de defesa posiciona na frente do pivô (entre a bola e o pivô). Na posição de pivô alto, o jogador de defesa coloca o braço e a perna na linha da bola, para que o pivô não receba o passe ou gire para cesta. 

7 - DOIS EM UM: O jogador do lado da ajuda é designado para o 2-em-1 na bola (dobra). O coach Neto incentiva suas equipes a fazer o 2-em-1 nos cantos, especialmente no fundo, na zona-morta e no pivô de baixo. 

8 - REBOTE: O jogador deve bloquear para o rebote tanto na defesa quanto no ataque. O rebote é um dos fundamentos básicos mais importantes no basquetebol. Seu treinamento deve ser diário! Os jogadores são incentivados a ir em qualquer possibilidade de rebote.

9 - DEFENDENDO O ARREMESSO: O jogador de defesa deve contestar todo e qualquer arremesso com o braço.


10 - DEFENDENDO O CORTA-LUZ E O BLOQUEIO
  • BLOQUEIO VERTICAL, HORIZONTAL E EM DIAGONAL: o jogador de defesa que marca o jogador da bola tenta o possível para passar por cima do bloqueio. Se não for possível, a defesa do jogador sem bola faz uma ligeira troca até que o jogador recupere sua posição. 
  • CORTA-LUZ: o jogador de defesa posicionado no lado de ajuda deve ler se a melhor opção é por baixo ou por cima do bloqueio, evitando a infiltração sem bola e o corte para cesta.
  • BLOQUEIO ENTRE PIVÔS: o coach Neto incentiva seus jogadores em bloqueios entre jogadores de mesma estatura fazer a troca defensiva. O objetivo é manter a bola o mais longe da cesta.

FONTE: 

quinta-feira, 24 de março de 2011

PNL: A arte do pensamento positivo

O estado físico reflete o estado mental e acredito que o inverso é verdadeiro. O modo como nossa mente se comporta pode facilitar a resolução dos problemas mais difíceis ou até mesmo dificultar em problemas muito simples. Segundo Dalai Lama, em seu livro "Iluminando o caminho", em sua trans-missão sobre a busca da felicidade por meio de uma mente que controla os pensamentos positivos e negativos, relata que:


“O único meio eficaz é de trabalhar com a mente enquanto ela se encontra livre de emoções intensas, analisar seu mundo interior repetidas vezes e, gradativamente, desenvolver uma consciência maior e algumas novas convicções. Dessa maneira desenvolveremos uma mente e um corpo saudáveis, e as emoções negativas estarão mais fracas quando se manifestarem Esse é um meio de treinar a mente.
Do outro lugar do mundo, no ocidente, um obstinado embebido com as funções de seu trabalho, começa a estudar as características dos homens de sucesso e traça os caminhos para o sucesso. Napoleon Hill, com sua filosofia do sucesso, nos mostra na prática o primeiro degrau, com o processo de autossugestão (sugestão que alguém faz deliberadamente a si mesmo) que esta baseada nos seguintes fatos:

  1. Os movimentos do corpo humano são controlados e dirigidos pelo pensamento, isto é, por ordens do cérebro, onde a mente tem sua sede; 
  2. A mente se divide em duas seções: a chamada de consciente (que dirige o corpo enquanto estamos acordados) e outra sub-consciente, que controla as atividades corporais enquanto dormimos;
  3. A presença de qualquer pensamento ou idéia consciente (provável também na subconsciente) tem a tendência de produzir alguns sentimentos associados e impulsionar o indivíduo a atividade corporal o apropriado a transformar esse estímulo mental em realidade. 
Por exemplo: você pode desenvolver a coragem, a autoconfiança e a determinação utilizando a afirmação ou outra mantendo a constantemente em sua mente  "Acredito em mim. Sou corajoso. Consigo ser perseverante. Posso realizar qualquer coisa que tentar." Isso é autossugestão.


Quando quiser ser um verdadeiro campeão, verificará a importância de trabalhar a evolução do controle da mente.



Obrigado pela atenção. Espero vocês nos próximos posts. Pensamento positivo!






Carlos.