quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Conquista de Resultados | Perseverança, Disciplina e Treinamento


Nesse último final de semana (8 a 10 de dezembro) tive a oportunidade de participar do VII Fórum da Confederação Brasileira de Desporto Universitária (CBDU), em Maceió-AL, onde reuniu a maioria dos representantes e dirigentes das Instituições de Ensino Superior (IES), representantes do Ministério do Esporte, as Federações Universitárias (FUEs), a Diretoria da CBDU e atletas universitários de sucesso. 
O tema do Fórum foi o esporte universitário em uma perspectiva de participação e de rendimento. Foi um sucesso essa iniciativa! 
Palestras sobre a visão e objetivos da CBDU ministrada pelo Luciano Cabral (presidente da CBDU), experiências de sucesso na Natação Universitária, exposição dos planejamentos administrativos do esporte na UFRN e da UnB, o Ministério do Esporte explanou sobre a Lei de Incentivo do Esporte (LIE), que explicaremos em outro post, e nosso foco que é a atitude dos atletas para alcançarem o sucesso e representar nosso país em mundiais e Universíade de 2011.

Marcelo Contini, medalha de bronze no Judô, na Universíade 2011 e Fernanda Vaz bicampeã do handebol pela Uni'santana na Liga de Desporto Universitária (LDU), explanaram sobre sua percepção sobre seus talentos:
Marcelo Contini - "Eu não sou talentoso. Compensei isso com muita disciplina, treinamento físico e técnico para conseguir essa medalha de bronze na Universíade, me superando. Agora vou treinar mais ainda para continuar tendo resultados."
Fernanda Vaz - "Não me considero talentosa. Não gostava de handebol. Joguei basquete e voleibol  até meus 14 anos. Em uma competição fui chamada para jogar em uma Universidade quando me formasse no Ensino Médio e assim fui e estou até hoje. Em um ano de muito treinamento consegui resultados expressivos no handebol. A diferença foi a perseverança e o foco em longo prazo."

Continuo a acreditar no poder da perseverança e capacidade de visão em longo prazo. Além de muito trabalho duro! É lógico que não podemos aumentar a carga de treinamento de meninos abaixo de 15 anos de idade, mas em contrapartida podemos ajuda-los a desenvolver o pensamento em longo prazo, disciplinado e a perseverar diante de seus objetivos.
O esporte escolar e universitário pode e quer ajudar no desenvolvimento do esporte brasileiro tornando-se a massificação da pratica das modalidades esportivas. Vamos melhorar nosso esporte dando oportunidades a todos brasileiros a praticar o esporte.





terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Movimentos ofensivos individuais: Tríplice ameaça, Jump Stop e o Step Back

Olá a todos,

Hoje falaremos de três movimentos ofensivos individuais, o  Jump Stop, Jab Step e o Step Back, que ajudarão os jogadores a tomar decisões no 1x1 com mais ferramentas. Os dois primeiros são propostos em fases iniciais do desenvolvimento esportivo (iniciação e formação esportiva) e o terceiro, por ser mais complexo, é apresentado em fases subsequentes (especialização e alto rendimento). Começaremos do menos complexo para o mais complexo, assim como deve ser.


Jab Step
O Jab Step tem como objetivo desequilibrar a defesa deslocando-a para um lado ou para trás. Assim é possível decidir pelo corte a cesta, pelo arremesso ou pelo passe. Esse movimento pode ser executado driblando a bola ou parado. 
Jab Step driblando a bola

Sugiro, também, que vejam o jab step realizado antes do drible, no link abaixo.

Jump Stop

Jump Stop é uma habilidade básica que chamamos de parada de um tempo. É utilizado para desacelerar bruscamente um movimento de corrida, batendo os dois pés ao mesmo tempo no chão, para executar um arremesso, para fazer um passe ou sem a bola para receber um passe, fazer uma mudança de direção para desmarcar. 
Veja o vídeo acima que demonstra o jump stop sendo utilizado na bandeja.

Step Back

O step back é um movimento ofensivo de grande eficiência para desequilibrar a defesa. Geralmente é utilizado pelos jogadores que jogam de frente para a cesta. Pode ser executado para ganhar espaço para o arremesso no relógio ou para atrair aproximar a defesa e cortar para a cesta. 
Veja os dois exemplos nesse vídeo de apenas 54 seg, quando Kemba Walker faz o arremesso no final do jogo para desempatar e ganhar a partida.

Ambos movimentos há a necessidade de respeitar a tríplice ameaça, onde a bola é localizada na região da cintura. Esse posicionamento da bola deixa a defesa desconfortável, pois possibilita ao jogador no ataque passar, arremessar ou driblar. Posto o link sobre triple treat apresentado pelo veterano da NBA Tracy Murray.

Abraço e até a próxima.




domingo, 4 de dezembro de 2011

Benefícios do Controle | Avaliação do desempenho

Lembram que iniciamos o assunto sobre Avaliação do desempenho, expondo o conceito, objetivos e responsabilidades. Ótimo! Continuaremos falando sobre a avaliação do desempenho focando agora nos benefícios de um programa de avaliação do desempenho
A administração é a interpretação dos objetivos propostos da organização e codifica os em ações através das funções administrativas. Assim o planejamento, a organização, a direção e o controle das ações são fundamentais para que seja alcançado as metas de curto, médio e longo prazo.
A implantação do programa de avaliação de desempenho por si só não resultará grandes resultados, pois necessita de gestão de qualidade. Logo que a implantação e a administração do programa estiverem alinhados resultará em benefícios para os colaboradores, o gerente, a organização e a comunidade.
  1. Benefícios para o Gerente 
    • Avaliar o desempenho e o comportamento com base em dados da avaliação, neutralizando assim a subjetividade;
    • Propor um melhor padrão de desempenho;
    • Esclarecer sobre o sistema de avaliação do desempenho.
  1. Benefícios para os colaboradores
    • Conhecer os aspectos de comportamento e desempenho que a organização valoriza;
    • Conhecer as expectativas do chefe a respeito dos pontos fortes e fracos e seu desempenho;
    • Conhecer as providencias do chefe sobre a melhoria de seu desempenho e as que o próprio colaborador pode fazer;
    • Capacidade de auto-avaliação e autocrítica sobre seu comportamento, desempenho e controle.
  1. Benefícios para a organização 
    • Avalia o potencial dos recursos humanos a curto, médio e longo prazo;
    • Identifica os colaboradores que necessitam de aperfeiçoamento e seleciona os que serão promovidos;
    •  Promove uma política mais dinâmica estimulando a produtividade e o relacionamento interpessoal.
  2. Benefícios para a comunidade
    • Vejo como o principal benefício. A comunidade usufrui dos resultados de um desempenho organizado e pensado previamente com a visão no futuro. A satisfação da comunidade também oferece retorno a organização.
O programa possibilita a gestão do desempenho oferecendo oportunidades de crescimento e desenvolvimento dos recursos humanos. 
Vejo como excelente instrumento de gerenciar uma o desempenho das pessoas de uma equipe esportiva, dando suporte a orientação dos envolvidos em relação a sua atuação.

Fonte:
CHIAVENATO, IDALBERTO. Recursos Humanos. 7º edição. São Paulo: Atlas, 2002. p. 332:333.
CHIAVENATO, IDALBERTO. Iniciação à administração Geral. 3º edição. Barueri - SP. Manole, 2009.